Este Projeto precisa de Patrocinador!

Em Construção

Relação de hospitais de referência em todo o país para Soroterapia / locais de aplicação de antivenenos

Tratamento acidentes por aranhas peçonhentas

Phoneutria ; Loxosceles ; Latrodectus ; Lycosa ; Mygalomorphae

A grande maioria das aranhas possui glândulas produtoras de veneno, porém poucas são perigosas para os seres humanos. No Brasil, as principais aranhas peçonhentas de interesse médico pertencem aos gêneros Phoneutria, Loxosceles, Latrodectus e Lycosa. Devem ser considerados os acidentes com as aranhas dos gêneros Grammostola e Pamphobeteus, que podem provocar reação de hipersensilbilidade, por apresentarem o corpo coberto por pelos urticantes.

Nos acidentes causados por aranhas peçonhentas, o diagnóstico etiológico se baseia na identificação do agente agressor e no diagnóstico clínico, no relato de picada e nos sinais e sintomas determinados pelos diferentes tipos de veneno.

Top

Acidente por aranhas PHONEUTRIA

A precocidade do atendimento médico é fator fundamental na evolução e no prognóstico do
doente

PhoneutriaEste acidente é causado pelas aranhas do gênero Phoneutria, conhecidas por aranhas armadeiras, aranha-da-banana ou aranha-dos-mercados-de-frutas.

São aranhas grandes, medindo aproximadamente três a cinco centímetros de corpo e até 15centímetros de envergadura das pernas. Possuem coloração castanha ou cinza escuro, com pelos castanhos nas pernas e no abdômen.
No dorso do abdômen apresentam uma série longitudinal de pares de manchas claras. O ventre é negro nas fêmeas adultas, vermelho ou laranja em jovens e machos adultos. As aranhas armadeiras são bastante agressivas.

Quadro clínico

O veneno tem efeito neurotóxico periférico, sendo a dor no local da picada de instalação imediata, com irradiação para todo o membro atingido.

Tratamento

Consiste na analgesia, pela infiltração local, ao redor da picada, de aproximadamente 4 ml de anestésico do tipo lidocaína a 2%, sem vasoconstritor.

Para as crianças usar entre 1 e 2 ml do anestésico. Se necessário, repetir a mesma dose uma a duas horas após. Caso sejam necessárias mais de duas infiltrações e desde que não haja alterações do sistema nervoso central, recomenda-se o uso cuidadoso de meperidina (Dolantina ®), nas seguintes doses: crianças – 1,0 mg/Kg de peso via intramuscular, e adultos 50 a 100 mg pela mesma via.

Tratamento complementar

O tratamento complementar da dor local pode ainda ser feito com banho de imersão em água morna ou pelo uso de dipirona. A soroterapia específica tem sido indicada nos casos com manifestações sistêmicas principalmente em crianças e em todos os acidentes graves. Nestes casos interna-se o doente e além do emprego da analgesia, aplica-se o soro antiaracnídico de acordo com o quadro a seguir:

Foneutrismo – classificação quanto à gravidade, manifestações clínicas e tratamento geral e específico.
CLASSIFICAÇÃO MANIFESTAÇÕES
CLÍNICAS
TRATAMENTO
GERAL
TRATAMENTO
ESPECÍFICO

LEVE

Dor local na maioria dos casos, eventualmente taquicardia e agitação.

Observação até 6 horas + analgesia

 

MODERADO

Dor local intensa associada a: sudorese e/ou vômitos ocasionais e/ou agitação e/ou hipertensão arterial.

Internação + analgesia

2 a 4 ampolas de SAAr (*) (crianças)

Via intravenosa

GRAVE

Além das anteriores, apresenta uma ou mais das seguintes manifestações: sudorese profusa, sialorréia, vômito freqüentes, hipertonia muscular, priapismo, choque e/ou edema pulmonar agudo.

Unidade de cuidados intensivos + analgesia

5 a 10 ampolas de SAAr (*) Via intravenosa

(*) SAAr-soro antiaracnídico: 1 ampola = 5ml. Uma ampola de soro (5 ml) neutraliza 7,5 DMM (doses mínimas mortais) dos venenos de referência. (Phoneutria nigriventer e Loxosceles gaucho).

 

Top

Acidente por aranhas LOXOSCELES

Loxoceles femeaLoxoceles machoEste acidente é causado pelas aranhas do gênero Loxosceles, conhecidas por aranhas-marrom. São aranhas pequenas, com aproximadamente um centímetro de corpo e três centímetros de envergadura. Estas aranhas não são agressivas. Os acidentes acontecem principalmente quando a aranha é comprimida contra a pele do indivíduo, por se encontrar dentro de vestimentas e em roupas de cama ou de banho.

Quadro clínico

O veneno loxoscélico possui atividades proteolítica (responsável pelas lesões necróticas e isquêmicas na região da picada), hemolítica (produz hemólise intravascular) e coagulante (capaz de ocasionar coagulação intravascular disseminada).

O acidente pode se apresentar sob duas formas clínicas: cutânea e cutâneo-visceral. Na forma cutânea, as ações proteolítica e hemolítica do veneno manifestam-se tardiamente, em torno de 12 a 24 horas após o acidente.

O quadro clínico cutâneo caracteriza-se por edema, eritema, dor local semelhante a queimadura. A necrose torna-se evidente ao final da primeira semana após a picada. Apresenta-se como uma crosta seca e negra que se desprende com o tempo, em primeiro da periferia e, por fim, da base da lesão, deixando à mostra uma úlcera de proporções variáveis.

loxocelesA forma cutâneo-visceral tem manifestações sistêmicas e instala-se em pequeno número de casos, principalmente em crianças. A ação hemolítica do veneno se manifesta por icterícia e hemoglobinúria. A urina torna-se escura, cor de "coca-cola” e pode evoluir para oligúria, anúria e insuficiência renal aguda semelhante ao que ocorre no acidente crotálico.

LOXOCELISMO – classificação dos acidentes quanto à gravidade, manifestações clínicas e tratamento.
CLASSIFICAÇÃO MANIFESTAÇÕES
CLÍNICAS
TRATAMENTO

LEVE

Loxosceles identificada como agente causador do acidente

Lesão incaracterística -Sem comprometimento do estado geral

Sem alterações laboratoriais

Sintomático: Acompanhamento até 72 horas após a picada (*)

MODERADO

Com ou sem identificação da Loxosceles no momento da picada

Lesão sugestiva ou característica

Alterações sistêmicas (rash cutâneo, petéquias)

Sem alterações laboratoriais sugestivas de hemólise

Soroterapia: 5 ampolas de SAAr (**) via intravenosa e Prednisona:

Adultos 40 mg/dia

Crianças 1mg/Kg/dia durante 5 dias

GRAVE

Além das anteriores, apresenta uma ou mais das seguintes manifestações:

sudorese profusa, sialorréia, vômitos freqüentes, hipertonia muscular, priapismo, choque e/ou edema pulmonar agudo.

Soroterapia: 10 ampolas de SAAr via intravenosa e Prednisona:

Adultos 40 mg/dia

Crianças 1 mg/Kg/dia durante 5 dias

(*) Pode haver mudança de classificação durante este período

(**) SAAr = soro antiaracnídico ou soro antiloxoscélico.

 

O tratamento cirúrgico das áreas necrosadas pode ser necessário no manejo das úlceras e correção das cicatrizes. O emprego do soro específico deve ser feito até 36 horas após o acidente.

Top

Acidente por aranhas LATRODECTUS

latrodectusEste acidente é causado pelas aranhas do gênero Latrodectus, conhecidas popularmente por viúva-negra, aranha ampulheta ou flamenguinha.
Em geral, possuem coloração negra e vermelho vivo, como na espécie L. curacaviensis ou esverdeado ou acinzentado com manchas alaranjadas, como na espécie cosmopolita L. geometricus. O abdômen é globoso, com manchas vermelhas de tamanho variável. O ventre possui um característico desenho em forma de ampulheta.

O veneno é neurotóxico central e periférico causando quadro clínico no local da picada e no sistema nervoso central. Além da dor intensa no local da picada o doente pode ainda apresentar mialgia intensa, contraturas musculares generalizadas, podendo levar a convulsões tetânicas.
A presença de sialorréia, dores abdominais exacerbadas com sudorese profusa, pode levar a confusão com o diagnóstico de abdome agudo.

Alterações hemodinâmicas do tipo bradicardia e hipotensão podem acabar determinando choque hipovolêmico e insuficiência renal aguda. A morte, quando ocorre, em geral se deve à parada respiratória e ao choque.

O tratamento deve ser intensivo, utilizando-se analgésicos potentes para o alívio das dores musculares e abdominais. Podem ser realizados bloqueios anestésicos regionais à base de lidocaína sem vasoconstritor.

Os relaxantes musculares à base dos benzodiazepínicos, além do gluconato de cálcio, podem ser utilizados para alívio das contrações espasmódicas, tremores e cãimbras musculares. O tratamento com o soro específico é obrigatório.

Black Widow Spider (Latrodectus Mactans) Antivenin information

 

Classificação, manifestações clínicas e tratamento do Latrodectismo

CLASSIFICAÇÃO

MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

TRATAMENTO

Leve

Sudorese e dor local, edema local discreto, dor nos membros inferiores, parestesia em membros, tremores e contraturas.

Sintomático: Analgésicos, gluconato de cálcio, observação.

Moderado

Além dos acima referidos, dor abdominal / mialgia, sudorese generalizada, ansiedade / agitação, dificuldade de deambulação, cefaléia, tontura e hipertermia.

Sintomático: Analgésicos, sedativos e Específico: SALatr(*) 1 ampola via intramuscular

Grave

Todos os acima referidos e taqui/bradicardia, hipertensão arterial, taquipnéia/dispnéia, náuseas e vômitos, priapismo e retenção urinária, fácies latrodectísmica.

Sintomático: Analgésicos, sedativos e Específico: SALatr(*) 1 a 2 ampolas via intramuscular.

(*) SALatr = soro antilatrodéctico

 

LATRODECTISMO – drogas utilizadas no tratamento sintomático.

MEDICAMENTO

CRIANÇAS

ADULTOS

Benzodiazepínicos do tipo Diazepam

1 a 2 mg/dose intravenosa a cada 4 horas, se necessário

5 a 10 mg intravenosa a cada 4 horas, se necessário.

Gluconato de cálcio a 10%

1 mg/Kg intravenosa lentamente a cada 4 horas, se necessário

10 a 20 ml intravenosa lentamente a cada 4 horas, se necessário.

Clorpromazina

0,55 mg/kg/dose intramuscular a cada 8 horas, se necessário

25 a 50 mg intramuscular a cada 4 horas, se necessário.

 

Top

Acidente por aranhas LYCOSA

LycosaO acidente é causado por aranhas do gênero Lycosa, conhecidas como aranhas de jardim, de grama, aranha lobo ou tarântula. Apresentam como característica um desenho negro em forma de ponta de flecha no dorso do abdome. Lycosa é um gênero do qual são catalogadas em torno de 235 espécies pelo mundo.

O veneno é discretamente proteolítico e a picada é acompanhada de pouca ou nenhuma dor, podendo aparecer edema e eritema.

O acidente é considerado de caráter benigno e não tem valor sanitário.

O diagnóstico diferencial, quando a história de picada é recente, deve ser feito com as aranhas Loxosceles. Nesse caso, torna-se necessária a reavaliação do doente após 12 a 24 horas do acidente.
O tratamento é sintomático, com curativos locais, à base de antisépticos. Caso haja reação alérgica local, ou presença de infecção secundária. Pode se utilizar pomadas compostas de antibióticos e corticosteróides.
Não há necessidade de soroterapia específica.

 

Top

Acidente por aranhas MYGALOMORPHAE

MYGALOMORPHAENo Brasil, estas aranhas Mygalomorphae, são conhecidas popularmente por aranhas caranguejeiras. Apresentam uma grande variedade de colorido e de tamanho, desde alguns milímetros até 20 cm de envergadura das pernas. Algumas são muito pilosas.

Sua importância médica está no fato delas poderem lançar pêlos urticantes, situados no dorso do abdome, quando ameaçadas. Esses pêlos podem causar reações de hipersensibilidade, com prurido cutâneo, mal-estar, tosse, dispnéia e broncospasmo.

O tratamento é feito à base de pomada de corticosteróides. Quando ocorre reação de hipersensibilidade, com manifestações clínicas sistêmicas, está indicado o uso de anti-histamínicos, como a prometazina, uma ampola por via intramuscular. Para crianças, utilizar 0,1 a 0,5mg/kg de peso corporal.

 

PDF EMERGÊNCIAS MÉDICAS site do CEVAP

CEVAP: Centro Virtual de Toxinologia http://www.cevap.org.br/

 


Este Projeto está sendo feito por:

Baner Photoindustrial

 

Baner ApoioCultural

 

Baner Designdeimagem

banner_header

PUBLICIDADE

Sua empresa ou produto nesta coluna

BANER

250x125pixels

BANER

250x250pixels

BANER

250x400pixels

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

UNDER CONSTRUCTION

PROTÓTIPO

LAY OUT ONLY